As apresentações são parte fundamental da profissão do arquiteto(a). Elas começam a acontecer nas universidades, quando temos a necessidade de condensar extensos trabalhos em curtas apresentações, e continuam acontecendo durante toda a carreira profissional. Ela é a principal ferramenta para comunicar ideias aos parceiros, clientes, júri ou estudantes.

Uma boa apresentação é fundamental para converter o seu trabalho em dinheiro (ou em boa nota). Após trabalhar duro durante semanas, é chegado o momento de demonstrar os melhores aspectos do seu design. Nesta hora, duas características são fundamentais para o seu sucesso: uma boa retórica e uma boa diagramação das informações a serem passadas (textos e desenhos).

Este artigo é um guia de como realizar uma boa diagramação. Com uma diagramação bem feita você irá potencializar a sua apresentação, valorizando o seu trabalho e causando uma boa impressão em todos que se proponham a gastar alguns minutos para observá-lo.

SOFTWARES

Existem vários softwares onde você pode diagramar a sua prancha. Os mais utilizados por profissionais são os da linha Adobe (InDesign, Illustrator e Photoshop). Vale muito a pena se dedicar um tempo para aprender como trabalhar neles.

FORMATO E ORIENTAÇÃO

Saiba qual é o formato requisitado para a sua apresentação (tamanho do papel/tela) e a orientação (porta retrato ou paisagem).

ESTRUTURA

Antes de você começar a criar a sua prancha, separe um momento para organizar o seu trabalho. O que você está tentando transmitir? Quais desenhos você tem que mostrar para evidenciar seus critérios? Quais elementos chave do design você acha importante serem vistos?

Junte todas as informações que você queira incluir (textos e imagens) e comece a planejar as suas pranchas. Organize o conteúdo em ordem de relevância (do mais importante para o último). O planejamento irá te ajudar a visualizar qual informação estará na sua prancha e como você vai comunicar o seu design.

Abaixo, algumas informações que são comumente exibidas em pranchas de arquitetura:

– Texto informativo: deve ser conciso e falar sobre os recursos e pontos positivos do design. O texto deve vender bem o seu projeto;

– Perspectiva que melhor demonstre seu projeto;

– Plantas baixas;

– Vistas;

– Desenhos a mão/renders que mostrem o desenvolvimento do design;

– Detalhes ou particularidades que você acha importante que o público saiba.

LAYOUT

Utilize um grid para te ajudar a organizar os elementos visuais da sua prancha. O grid vai te ajudar a exibir as informações de maneira uniforme e hierarquizada.

De maneira geral, podemos dizer que a modulação do grid é a base da diagramação. É através dessa modulação que organizamos o espaço e a distribuição dos diversos elementos da composição.

Os principais componentes de um grid são: margem, marcadores, colunas, guias horizontais (linhas de fluxo), zonas espaciais, módulos e calhas. A seguir, detalharemos cada um deles:

Margens.jpg

Margens: São áreas protetoras periféricas. Representam a quantidade de espaço entre a borda do formato e o conteúdo da página. As margens podem abrigar informações secundárias como notas, títulos e legendas.

colunasColunas: São áreas verticais que contêm textos ou imagens. A largura e quantidade de colunas em uma página ou tela podem variar, dependendo do conteúdo.

moduloMódulos: São módulos individuais de mesmo tamanho, separadas por espaços uniformes (calhas), possibilitando um grid ordenado e repetitivo. Combinando módulos pode-se criar colunas e Zonas Espaciais de vários tamanhos.

zonas-espaciaisZonas Espaciais: São agrupamentos de módulos, ou colunas, que podem formar áreas específicas para textos, anúncios, imagens ou outras informações.

guias-horizontaisGuias Horizontais: São alinhamentos que quebram o espaço em faixas horizontais. Não são efetivamente linhas, são apenas um método para usar o espaço e os elementos na intenção de guiar o leitor pela página.

marcadoresMarcadores: Auxiliam o leitor a navegar pelo documento indicando posicionamento para informações que aparecem na mesma posição. Os marcadores incluem número de página, cabeçalhos, títulos correntes, rodapés e ícones.

calhasCalhas: Espaços de separação entre colunas e guias horizontais.

Existem muitas possibilidades na hora de organizar o grid. Ao utilizarmos um grid como referência para a locação dos elementos devemos sempre buscar acomodar o conteúdo em uma lógica ordenada. As guias horizontais e verticais definem os limites da ordenação. Tanto os textos quantos as imagens devem respeitar os limites dos Módulos ou Zonas Espaciais.

Abaixo, listamos os tipos de grid mais convencionais:

grid-de-uma-coluna1 – Grid de uma coluna: é usado geralmente para textos corridos contínuos, como teses, relatórios ou livros. O aspecto principal na página ou página dupla é o bloco de texto.

Grid de duas colunas.jpg

2 – Grid de duas colunas: Pode ser usado para controlar um grande volume de texto ou apresentar diferentes tipos de informação em colunas separadas. Um grid de coluna dupla pode ser organizado com colunas de larguras iguais ou diferentes. Nas proporções ideais, quando uma coluna é mais larga que a outra, a mais larga é o dobro da largura da mais estreita.

Grid colunas multiplas.jpg3 – Grid de colunas múltiplas: permitem maior flexibilidade do que os grids de colunas duplas ou simples. Combinam múltiplas colunas de larguras variantes e são úteis para revistas e websites.

grid-modular4 – Grid modular: são melhores para controlar o tipo de informação mais complexa, encontrada em jornais, calendários, gráficos e tabelas. Combinam colunas verticais e horizontais, que organizam a estrutura em porções menores de espaço.

Grid Hierarquico.jpg5 – Grid hierárquico: quebram a página em zonas. Muitos grids hierárquicos são compostos por colunas horizontais.

 

É fundamental que existam espaços vazios na prancha. Estes espaços servem para facilitar a inserção do observador e evitar que ele se sinta oprimido com uma prancha carregada de informações. Você não irá conseguir melhores críticas mostrando mais informações, é a qualidade e não a quantidade que conta.

É altamente recomendável que você faça croquis para definir o layout antes de você começar a diagramar. Dessa forma, você pode ter uma ideia rápida das configurações possíveis e qual delas funcionará melhor. Vejam o exemplo abaixo:

croqis adonis.jpg

Penalva_01 R02.jpg

Penalva_03 R02.jpg

Penalva_04 R02.jpg
Desenhos de Adônis Penalva

Atente para diagramar a prancha de maneira que os desenhos e informações se relacionem. Por exemplo, seções e plantas podem estar alinhadas para favorecer uma leitura mais fácil.

Certifique-se de que todas as plantas baixas possuem a mesma orientação (norte apontando para o mesmo lugar), de outra maneira pode ser muito confuso para alguém que nunca viu seu projeto antes entendê-lo.

BACKGROUND

Tente manter o seu background simples, a menos que ele seja parte de uma das suas imagens chave. Um background branco fará suas imagens e textos se destacarem e parecerem profissionais. Com esta cor as informações tendem a aparecer de forma clara. Uma imagem de background pode facilmente se tonar uma distração, então você deve ter certeza de que todas as informações estão extremamente claras se optar por um fundo mais carregado.

TEXTOS E FONTES

Use um ou, no máximo, dois tipos de fontes. Aplique diferentes tamanhos nas fontes para criar hierarquia na prancha (fontes grandes para títulos, menores para subtítulos e tamanho padrão para o restante do texto). Certifique-se de que a fonte e os tamanhos estão adequados para a leitura. Mantenha suas sentenças curtas e fortes. Ninguém vai ler uma redação na sua prancha, por isso não se utilize de textos extensos pois dessa forma irá apenas desestimular os observadores a continuarem vendo seu trabalho.

CORES

As cores mais utilizadas em arquitetura são o branco, o preto e o cinza. Deve-se ter muito cuidado caso você opte por utilizar cor na sua prancha, pois ela afeta diretamente a leitura do seu trabalho. A cor branca é a mais recomendada por favorecer uma leitura leve das informações.

Por fim, se inspire em bons trabalhos. A melhor maneira de aprender é observando o trabalho dos outros. Veja vários exemplos e tome notas, faça desenhos esquemáticos das conformações que você mais gostou. Usando a sua criatividade e os conhecimentos adquiridos com estudos e observações, você deverá estar apto a criar pranchas lindas!

Vejam exemplos de boa diagramação na nossa página do Pinterest: Pranchas de Arquitetura.

Confiram o link abaixo e se inspirem!

Fontes:

https://visscom.wordpress.com/2013/04/14/presentation-board-layout-tips/

https://issuu.com/editorablucher/docs/issuu_grid_isbn9788521204947

http://www.firstinarchitecture.co.uk/architecture-presentation-board-tips/

http://chiefofdesign.com.br/guia-sobre-grid/

CHING, Francis D. K. Manual de Dibujo Arquitectónico. Barcelona: Editorial Gustavo Gili. 1995.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s